Cuba privatiza salões de beleza

Comentário

Acreditem se quiser, Cuba privatiza salões de beleza. Até que ponto um governo, considerado pela elite pensante  global da esquerda, modelo socialista, manipula, dirige, conduz uma sociedade zumbi.

É um autentico zoológico, onde o  tratador (governo), aprisiona,  faz lavagem cerebral,  oferece alimentação e a sociedade tem apenas um espaço limitado para viver. A sociedade, a  criação de gado e outros animais  têm apenas um único dono, o governo. Coitado da revolução dos bichos. Tem muitos brasileiros deverão cortar os cabelos em Cuba e guardar como recuerdo o corte a la cubana.

Cuba privatiza salões de beleza

As autoridades comunistas de Cuba estão entregando a administração de centenas de pequenas barbearias e salões de beleza do Estado aos funcionários, medida que parece ser o início de uma reestruturação, já esperada, do setor de serviços de pequeno porte sob o governo do presidente do país, Raúl Castro.

A transferência na administração, ainda não anunciada pelo governo, mas confirmada à agência de notícias Reuters por cabeleireiros e estilistas em várias cidades de Cuba. É a primeira reforma de alcance nacional no setor de serviços de pequeno porte e é pioneira na entrega desse tipo de negócio a seus funcionários, desde a estatização ocorrida em 1968.

Os funcionários, que até agora trabalham por um salário mensal, poderão alugar os salões e pagar impostos, segundo os cabeleireiros e profissionais da área de beleza consultados. Quem não quiser participar do novo modelo será transferido a outros setores ou poderá aposentar-se.

A nova política, iniciada neste mês, se aplica, por enquanto, aos locais com mais de três cadeiras de cabeleireiro, está sujeita a ajustes e estabelece o pagamento mensal de 15% da receita média do negócio. Isso inclui o aluguel do local e equipamentos, além do imposto de previdência social.

Os novos donos poderão cobrar os preços que o mercado esteja disposto a pagar e sua expectativa é de que consigam fazer bons negócios em Cuba, onde o salário mensal ronda os 420 pesos cubanos, equivalente a cerca de US$ 20.

Daisy, uma cabeleireira na Província de Guantánamo, no extremo leste de Cuba, afirmou que teria de pagar 738 pesos mensais (US$ 33) de aluguel. Na Província de Santiago de Cuba, também na região oriental da ilha, o preço médio será de 1.008 pesos e em Holguín, de 1.292 pesos.

"Temos de pagar água, eletricidade e produtos, mas parece uma boa ideia", disse Daisy, explicando que os funcionários ficarão encarregados de decorar e manter os locais."

Para Yordanka, empregada de um salão de beleza na cidade de Holguín, 730 km a leste de Havana, será uma responsabilidade que implicará mais trabalho. Ela disse que vai "trabalhar muito duro para poder ganhar melhor, mas gosto da ideia".

Barbeiros e manicures deverão pagar menos do que os salões de beleza. Na cidade de Guantánamo, por exemplo, o aluguel e os impostos serão de 604 e 280 pesos, respectivamente.

Cuba é uma das poucas economias de estilo soviético no mundo, onde o Estado controla mais de 90% da atividade. Outros países de governos comunistas como China e Vietnã liberalizaram tempos atrás o pequeno varejo e os pequenos negócios.

Desde que assumiu o poder, há dois anos, Raúl Castro vem implementando algumas medidas de liberalização.

Fonte: Valor Econômico - 13/04/2010

|

Comentarios

Comentários a este artigo no RSS

Comentarios recientes

Cerrar